Páginas

sábado, 24 de fevereiro de 2018

LOTERIAS DA CAIXA.

Confira os Últimos resultados

MEGA-SENA

  • 02
  • 10
  • 11
  • 24
  • 38
  • 56

ACUMULOU!

Concurso 2017 - Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

LOTOFÁCIL

0103060911
1216171819
2022232425

2 GANHADORES

Concurso 1628 - Sexta-feira, 23 de Fevereiro de 2018

QUINA

  • 01
  • 08
  • 39
  • 46
  • 51

1 GANHADOR

Concurso 4614 - Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

LOTOMANIA

0001121316
2830353638
4041444656
6472828998

1 GANHADOR

Concurso 1843 - Sexta-feira, 23 de Fevereiro de 2018

TIMEMANIA

  • 09
  • 10
  • 44
  • 53
  • 56
  • 68
  • 70

ACUMULOU!

Concurso 1148 - Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

DUPLA SENA

1º sorteio
  • 11
  • 14
  • 35
  • 40
  • 41
  • 47
2º sorteio
  • 21
  • 29
  • 34
  • 40
  • 46
  • 49

ACUMULOU!

Concurso 1760 - Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

FEDERAL

Prêmios Principais
OS BILHETES GANHADORES DO 1º PRÊMIO, SÉRIE A e B, FORAM DISTRIBUÍDOS PARA SALTO GRANDE/SPSorteio Realizado em CAMPO BELO, MG.
DestinoBilheteValor do Prêmio (R$)
62682700.000,00
3102728.000,00
5432726.000,00
7353322.000,00
2438920.040,00
Concurso 05261 - Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

LOTECA

JogoColuna 1xColuna 2Data
10Santa Cruz/Pe Náutico/Pe0Sáb 
20São Paulo/Sp Santos/Sp1Dom 
30América/Mg Atlético/Mg3Dom 
41Chapecoense/Sc Avaí/Sc0Dom 
51Vitória/Ba Bahia/Ba1Seg 
61Caxias/Rs Juventude/Rs1Dom 
71Cruzeiro/Mg Vila Nova/Mg0Sáb 
81Ferroviário/Ce Guarani/Ce0Dom 
90Ponte Preta/Sp Palmeiras/Sp0Dom 
102Sport/Pe América/Pe0Dom 
110Monchengladbach/Deu Dortmund/Deu1Dom 
121Espanyol/Esp Villarreal/Esp1Dom 
131Marseille/Fra Bordeaux/Fra0Dom 
140Torino/Ita Juventus/Ita1Dom 

21 GANHADORES

Concurso 787 - Terça-feira, 20 de Fevereiro de 2018

LOTOGOL

JogoPlacarData
1Grêmio/RsXIndependiente/Arg
  • 0
  •  
  • 1
  •  
  • 2
  •  
  • 3
  •  
  • +
  • 0
  •  
  • 1
  •  
  • 2
  •  
  • 3
  •  
  • +
Quarta-feira
2Londrina/PrXCeará/Ce
  • 0
  •  
  • 1
  •  
  • 2
  •  
  • 3
  •  
  • +
  • 0
  •  
  • 1
  •  
  • 2
  •  
  • 3
  •  
  • +
Quarta-feira
3Goiás/GoXBoa Esporte/Mg
  • 0
  •  
  • 1
  •  
  • 2
  •  
  • 3
  •  
  • +
  • 0
  •  
  • 1
  •  
  • 2
  •  
  • 3
  •  
  • +
Quarta-feira
4Botafogo/PbXAtlético/Mg
  • 0
  •  
  • 1
  •  
  • 2
  •  
  • 3
  •  
  • +
  • 0
  •  
  • 1
  •  
  • 2
  •  
  • 3
  •  
  • +
Quarta-feira
5Jorge Wilstermann/BolXVasco Da Gama/Rj
  • 0
  •  
  • 1
  •  
  • 2
  •  
  • 3
  •  
  • +
  • 0
  •  
  • 1
  •  
  • 2
  •  
  • 3
  •  
  • +
Quarta-feira

ACUMULOU!

Concurso 954 - Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2018

ENTREVISTA COM ALIEN DA ÁREA 51

MARTE | NASA REVELA NOVA DESCOBERTA EM PERCEVERANCE VALLEY

ARTEFATOS ENCONTRADOS EM ESCAVAÇÃO DE BUNKER ALEMÃO!

Índia x China: Confronto iminente?

Patê Morno de Pimentão com Berinjela (vegana)

Patê Morno de Pimentão com Berinjela (vegana)

Patê Morno de Pimentão com Berinjela (vegana)
Ingredientes

berinjela média
2 pimentões vermelhos, sem sementes
1 cebola roxa média
3-4 dentes de alho espremidos
3 colheres (sopa) de azeite de oliva extra virgem
1 colher (sopa) de extrato de tomate ou purê de tomate-seco
Sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto

Preparo

Pré-aqueça o forno a 180ºC. Pique em cubos grandes o pimentão, a berinjela e a cebola, coloque em uma vasilha e tempere com o azeite, sal, pimenta e o alho e misture bem. Forre uma assadeira grande com papel alumínio, coloque nela os vegetais picados e temperados e leve ao forno por cerca de 40 minutos (ou até que os legumes estejam macios e levemente tostados), virando-os com uma espátula na metade do tempo. Retire do forno, deixe esfriar por alguns minutos, passe para um liquidificador ou processador de alimentos, adicione o extrato de tomate ou purê de tomate seco (foi o que usei) e pulse até atingir a consistência desejada. Sirva ainda morno com pães, torradas, focaccias ou até mesmo como molho em sua massa preferida.

Patê Morno de Pimentão com Berinjela (vegana)

Dica - Se preferir, prepare no dia anterior e guarde na geladeira. Pouco antes de servir aqueça o patê com cuidado no microondas ou numa panelinha esmaltada.

Fonte: Receita e fotos do blog Our Best Bits
Cantinho Vegetariano

Usina produzirá biogás com resíduos orgânicos e lodo de esgoto Com informações da Agência Brasil

Usina produzirá biogás com resíduos orgânicos e lodo de esgoto

Usina produzirá biogás com resíduos orgânicos e lodo de esgoto
Detalhe da usina, mostrando a etapa de pós-digestor e o gasômetro.[Imagem: CS Bioenergia/Divulgação]
Energia do esgoto
Pela primeira vez, uma usina produzirá energia no Brasil a partir da combinação entre resíduos orgânicos e lodo de esgoto.
A CS Bioenergia, formada pela estatal Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) e pelo grupo Cattalini Bio Energia, recebeu Licença de Operação do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) para geração de biogás. A expectativa é que a operação estimule a adoção da tecnologia em outros estados.
O processo, conhecido como biodigestão, começa com o recebimento do lodo de esgoto da estação de tratamento e seu armazenamento em um tanque. Paralelamente, também são recebidos resíduos sólidos urbanos. Estes passam por um mecanismo de separação, retirando, por exemplo, os plásticos. Depois, a fração orgânica é limpa. Só então o material é enviado ao tanque de biodigestão, onde vai ser adicionado ao lodo.
Sérgio Vidoto, diretor da Cattalini Bio Energia, explica que o lodo de esgoto no Brasil contém muitas bactérias. Um problema que, na usina, vira solução. Isto porque as bactérias se alimentam do material orgânico, produzindo um gás com grande participação de metano. "Essa é a combinação perfeita para gerar o biogás de excelente qualidade", disse Vidoto.
A usina gerará 2,8 megawatts de energia elétrica, o suficiente para abastecer duas mil residências populares, conforme a CS Bionergia. Para que o biogás passe a integrar a rede de energia do Paraná, ainda falta a autorização da Companhia Paranaense de Energia (Copel), o que deverá ocorrer em cerca de sessenta dias.
Alternativa aos aterros
Ao todo, 1.000 metros cúbicos de lodo de esgoto e 300 toneladas de resíduos orgânicos, que eram descartados diariamente no meio ambiente, serão aproveitados na usina. Além do biogás, com o que sobra dos resíduos orgânicos serão produzidos biofertilizantes. Já o plástico que chega à indústria junto com o lixo será reciclado para a produção de sacolas.
A inspiração para a mudança nessa cultura veio de países como a Áustria e a Alemanha, que combinam tecnologias e políticas públicas para promover o reaproveitamento dos resíduos e, com isso, a quase inutilização de aterros. De acordo com o Vidoto, existem mais de 14 mil plantas de biogás por meio de biodigestão na Europa. Apenas na Alemanha, são oito mil.
"Está todo mundo olhando a nossa planta como uma quebra de paradigmas no tratamento de resíduos orgânicos no Brasil", disse Vidoto. De acordo com ele, até este ano só existiam projetos-pilotos que testavam a tecnologia, mas não uma usina com essa dimensão. Ele espera que "o pioneirismo quebre esse paradigma de só aterrar".

No Brasil, o biogás ainda tem uma participação pequena na matriz energética, por isso sua participação na oferta interna é contabilizada junto a outros itens, como o bagaço e a palha da cana, conformando a chamada biomassa. Segundo dados do Ministério de Minas e Energia, em 2016 a biomassa foi responsável por 8,8% da energia gerada no país.

Tecnologia acústica monitora abelhas sem abrir a colmeia Redação do Site Inovação Tecnológica -

Tecnologia acústica monitora abelhas sem abrir a colmeia

Tecnologia acústica monitora abelhas sem abrir a colmeia
O aparelho já foi testado em apiários na Espanha e na Rússia, mostrando-se prático não apenas para apicultores, mas também para estudos científicos.[Imagem: Serjio Glebskij]
Análise das abelhas pelo som
O pesquisador independente Serjio Glebskij, da Espanha, idealizou um equipamento sônico que funciona como um sensor completo para apiários.
A tecnologia de controle acústico permite determinar o estado das famílias de abelhas associadas à coleta de mel, a população na colmeia, a presença da rainha na família e sua condição, a presença de sinais de estado de enxertia e as condições do enxame em preparação para o inverno.
E tudo isso sem abrir a colmeia e sem perturbar as abelhas.
Já na segunda temporada de testes em apiários reais, a tecnologia, batizada de Apivox Auditor, apresentou excelentes resultados.
Som das abelhas
Glebskij desenvolveu algoritmos que interpretam os sinais acústicos recolhidos da colmeia por um microfone. Para isso, ele criou uma "tabela de estados da colônia de abelhas" usando dados de apiários e pesquisadores da Grã-Bretanha, Estados Unidos e Rússia.
A tecnologia passou por duas estações de teste em apiários, e demonstrou sua adequação não apenas para o trabalho prático dos criadores de abelhas, mas também como uma ferramenta útil para o trabalho científico. Com sua técnica, o pesquisador já obteve dados inéditos sobre o comportamento das abelhas e também a confirmação dos resultados de pesquisas realizadas por cientistas acadêmicos.

Segundo Glebskij, o fato de ter conseguido programar todos os seus algoritmos em um aplicativo que roda em um celular permitirá que até iniciantes se sintam bastante confiantes para iniciar um apiário, o que deverá atrair mais pessoas para a apicultura e ajudar a evitar o preocupante desaparecimento das abelhas sobretudo no hemisfério norte.

Desequilíbrio atmosférico pode indicar vida em outros planetas Redação do Site Inovação Tecnológica -

Desequilíbrio atmosférico pode indicar vida em outros planetas

Desequilíbrio atmosférico pode indicar presença de vida em outros planetas
A Terra (superior esquerda) tem vários gases em sua atmosfera que revelam a presença da vida, principalmente oxigênio e ozônio. Mas a Terra antiga (inferior esquerda) tinha um sinal diferente para a vida que já emergia há bilhões de anos. [Imagem: NASA/Wikimedia Commons/Joshua Krissansen-Totton]
Sinais de vida em outros planetas
Parece haver estratégias para procurar evidências de vida em outros planetas que são tão ou mais promissoras do que procurar apenas por oxigênio.
"Essa ideia de procurar oxigênio atmosférico como uma bioassinatura existe há muito tempo. E é uma boa estratégia - é muito difícil produzir muito oxigênio sem vida," detalha Joshua Totton, da Universidade de Washington, nos EUA. "Mas nós não queremos colocar todos os nossos ovos em uma única cesta. Mesmo que a vida seja comum no cosmos, não temos ideia se será vida que produz oxigênio. A bioquímica da produção de oxigênio é muito complexa e pode ser bastante rara."
Ocorre que a Terra com a vida como a conhecemos não foi sempre como é hoje. Na verdade, a capacidade da vida de produzir grandes quantidades de oxigênio só ocorreu no passado um oitavo do tempo da história da Terra.
Por isso, Tonton e seus colegas começaram analisando essa história da vida na Terra para identificar momentos em que a atmosfera do nosso planeta continha uma mistura de gases que estivessem fora de equilíbrio, ou seja, uma mistura que só poderia existir na presença de organismos vivos - qualquer coisa, de uma massa de algas em uma lagoa até árvores gigantes ou dinossauros.
Com essa visão de longo prazo, a equipe identificou uma combinação de gases que fornece evidência de vida: metano mais dióxido de carbono, menos monóxido de carbono.
"Nosso estudo mostra que essa combinação seria um sinal de vida convincente. O que é excitante é que nossa sugestão é realizável e pode levar à descoberta histórica de uma biosfera extraterrestre em um futuro não muito distante," disse David Catling, coautor do trabalho.
Uma das tarefas mais ansiosamente esperadas do telescópio espacial James Webb, atualmente em construção, é a observação das atmosferas de exoplanetas em busca de indícios de vida, e ele poderá detectar as bioassinaturas propostas pela equipe.
Desequilíbrio atmosférico pode indicar presença de vida em outros planetas
Enquanto encontrar vida em Marte ficou mais improvável, vários especialistas apostam em rastrear exoplanetas em busca de ETs que sejam muito diferentes de nós. [Imagem: NASA]
Atmosfera indicadora de vida
A equipe analisou todas as formas em que um planeta poderia produzir metano - a partir de impactos de asteroides, destruição do interior do planeta, reações de rochas e água - e constatou que seria difícil produzir muito metano em um planeta rochoso como a Terra que fosse totalmente destituído de organismos vivos.
Se o metano e o dióxido de carbono forem detectados juntos, especialmente sem monóxido de carbono, esse é um desequilíbrio químico que sinaliza a vida.
Os átomos de carbono nas duas moléculas representam níveis opostos de oxidação. O dióxido de carbono segura tantas moléculas de oxigênio quanto consegue, enquanto o carbono no metano carece de oxigênio e, em vez disso, contém o "adversário químico" do oxigênio, o hidrogênio.
"Então você tem esses níveis extremos de oxidação. E é difícil fazer isso através de processos não-biológicos sem produzir também monóxido de carbono, que é um intermediário," disse Totton. "Por exemplo, planetas com vulcões que expelem dióxido de carbono e o metano também tendem a expelir monóxido de carbono".
Além disso, o monóxido de carbono tende a não se acumular na atmosfera de um planeta que abriga vida.
"O monóxido de carbono é um gás que seria facilmente consumido por micróbios," disse Totton. "Então, se o monóxido de carbono for abundante, isso seria uma pista de que talvez você esteja olhando para um planeta que não possui biologia".

Bibliografia:

Disequilibrium biosignatures over Earth history and implications for detecting exoplanet life
Joshua Krissansen-Totton, Stephanie Olson, David C. Catling
Science Advances
Vol.: 4, no. 1, eaao5747
DOI: 10.1126/sciadv.aao5747

Que tal recarregar seu celular usando um laser? Redação do Site Inovação Tecnológica -

Que tal recarregar seu celular usando um laser?

Carregador de celular a laser
Sistema de recarregamento de baterias a laser - feixes vermelhos foram colocados no lugar dos lasers realmente utilizados para fins de ilustração.[Imagem: Mark Stone/U. Washington]
Carregador de celular a laser
Engenheiros da Universidade de Washington, nos EUA, demonstraram o primeiro equipamento capaz de recarregar com segurança a bateria de um celular usando um raio laser disparado à distância.
Um feixe estreito e invisível de um emissor laser fornece a carga para o celular à distância, podendo carregar a bateria do telefone tão rapidamente quanto um cabo USB padrão.
Para isso, a equipe criou uma "célula de potência" que captura a energia do laser e gera a eletricidade necessária para recarregar a bateria. Um dissipador de calor separa a célula de potência do celular, para evitar superaquecimento.
O sistema de segurança, no caso de alguém passar pelo raio laser e se queimar, consiste em um refletor que desliga o laser de carregamento. Para isso são usados dois outros feixes de segurança, que funcionam como detectores de presença.
"A segurança foi o nosso foco ao projetar este sistema. Nós projetamos, construímos e testamos esse sistema de recarregamento a laser com um mecanismo de segurança de resposta rápida, o que garante que o emissor laser interromperá o feixe de carga antes que uma pessoa entre no caminho do laser," disse Shyam Gollakota, membro da equipe.
Carregador de celular a laser
Detalhes do receptor e do transmissor. [Imagem: Mark Stone/U. Washington]
Localização acústica
O emissor de carregamento produz um feixe de laser com comprimento de onda na faixa do infravermelho próximo, transmitindo 2 Watts de potência para uma área de 38 centímetros quadrados localizada a até 4,3 metros de distância. Para uma potência menor, pode-se cobrir uma área de 1 metro quadrado a uma distância de até 12 metros.
Para que o celular se torne compatível com o recarregamento a laser, ele foi programado para sinalizar sua localização emitindo sons curtos de alta frequência, inaudíveis para os nossos ouvidos, mas rastreáveis pelos microfones no emissor laser.
"Este sistema de localização acústica garante que o emissor possa detectar quando um usuário colocou o smartphone na superfície de carga, que pode ser uma localização qualquer, como uma mesa na sala," explicou Vikram Iyer, membro da equipe.
Quando o emissor detecta o celular na superfície de carga, ele liga o laser para começar a carregar a bateria - desde que o usuário já tenha saído da área de rastreamento dos lasers de segurança.
Carregador de celular a laser
O carregador propriamente dito, a "célula de energia", é formada por uma célula fotovoltaica (quadrado escuro, no centro) e um gerador termoelétrico (quadrado branco), ambos montados sobre um dissipador de calor de alumínio. [Imagem: Mark Stone/U. Washington]
Caro
Embora a demonstração do carregador a laser seja comparável às técnicas de recarregamento com eletricidade sem fios usando indução eletromagnética, o sistema a laser não competiria em termos de custos - além disso, sem as vantagens de um posicionamento livre, plugar o celular em uma saída USB ainda é bem mais simples e barato.

Bibliografia:

Charging a Smartphone Across a Room Using Lasers
Vikram Iyer, Elyas Bayati, Rajalakshmi Nandakumar, Arka Majumdar, Shyamnath Gollakota
Proceedings of the ACM on Interactive, Mobile, Wearable and Ubiquitous Technologies
Vol.: 1 Issue 4, December 2017 Article No. 143
DOI: 10.1145/3161163