Páginas

terça-feira, 29 de abril de 2014

DIGA NÃO, ASSINE A PETIÇÃO.

AMIGOS - Um novo abaixo-assinado foi criado na Change.org e achamos que você pode se interessar em assiná-lo:

GOL Linhas Aéreas: Proíba o transporte de barbatanas de tubarão.

Por Joao Talocchi
Manaus
Anualmente, populações de tubarões tem declinado rapidamente devido a sobrepesca e destruição de seu habitat. Em algumas regiões do mundo, 90% das populações já foram dizimadas.  A União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) indica que 56% de todas as espécies de tubarão estão em alto risco de extinção.

A demanda por sopa de barbatana de tubarão é a maior causa do colapso das populações de tubarões. De acordo com os dados científicos mais recentes, 100 milhões de barbatanas de tubarão são negociadas no mundo todos os anos e, de acordo com a FAO, este número pode estar subestimado em 3 ou 4 vezes.

Dados do governo de Hong Kong indicam que mais de 1.162 toneladas de barbatanas de tubarão foram importadas por Hong Kong em 2012, dos quais 14,1% por via aérea. Pate desse total pode ter sido transportada, durante parte de sua trajetória, em aviões da GOL. De acordo com um relatório da rede global de monitoramento do tráfico de vida selvagem, o Brasil é o nono país onde há maior captura de tubarões.

Não é difícil concluir que as toneladas de barbatanas de tubarão que são transportadas como carga para Hong Kong e que podem ter originado sua rota em aviões da GOL no Brasil, estão diretamente ligadas a ameaças de extinção à diversas espécies de tubarão e à degradação do ambiente marinho.

Outras empresas aéreas já estão no caminho certo. Nos últimos meses a Cathay Pacific Airways Cargo anunciou publicamente o compromisso de parar de transportar barbatanas de tubarão e produtos relacionados em seus aviões. Outras linhas aéreas que também adotaram políticas similares são LATAM, Fiji Airways, Dragonair, Air Hong Kong, Korean Airlines, Asiana Airlines, Qantas e Air New Zealand, sendo que as 4 últimas merecem atenção especial por terem banido todas as barbatanas de turbarão, inclusive aquelas consideradas “sustentáveis”.

Linhas marítimas também adotaram políticas similares. Em 2010, a Maersk anunciou que não irá transportar mais barbatanas de tubarão e produtos relacionados em seus navios cargueiros. Em Julho de 2013, a Evergreen Line de Taiwan fez o mesmo.

No iníco deste ano, a ONU, por meio da CITES, concedeu proteção a várias espécies de tubarão e o programa de crimes ambientais da INTERPOL advertiu às linhas aéreas que o transporte destas barbatanas por resultar em implicações criminais.

Por estes motivos, solicitio que a GOL se comprometa publicamente à não transportar barbatanas de tubarão e produtos relacionados em seus vôos, incluíndo um prazo agressivo para a efetivação da proibição e a publicação deste compromisso em seu site.
Atenciosamente,
João Henrique Talocchi;
Eduardo Santaela;
Alex Hofford, Diretor Executivo, MyOcean, Hong Kong;
Ran Elfassy, Diretor Executivo, Shark Rescue, Hong Kong;
Design: Felipe Lobo

Da droga para a lama: imagens chocantes mostram a destruição física de viciados

Da droga para a lama: imagens chocantes mostram a destruição física de viciados

QUE ABSURDO! A Câmara aprovou hoje um golpe de Estado! Nada menos do que isso!

QUE ABSURDO! A Câmara aprovou hoje um golpe de Estado! Nada menos do que isso!

SUPER BATERIA FINA.

Energia

Bateria fina e flexível dispensa o lítio

Redação do Site Inovação Tecnológica - 29/04/2014
Bateria fina e flexível dispensa o lítio
A "superbateria" reteve 76% de sua capacidade depois de 10.000 ciclos de carga e descarga e 1.000 ciclos de flexionamento. [Imagem: Rice University]
Bateria ou supercapacitor?
Uma bateria de grande capacidade, mas que é leve, flexível e que não usa lítio.
Isso é o que prometem Yang Yang e seus colegas da Universidade Rice, nos Estados Unidos.
O protótipo da bateria, com a espessura de uma folha grossa de plástico, possui eletrodos sólidos de níquel-fluoreto, dispostos em uma estrutura nanoporosa que aumenta sua área superficial.
Tecnicamente o dispositivo é um supercapacitor, embora a fronteira entresupercapacitores e baterias esteja cada vez mais difícil de traçar.
Nos testes, essa "superbateria" reteve 76% de sua capacidade depois de 10.000 ciclos de carga e descarga e 1.000 ciclos de flexionamento.
"Em comparação com uma bateria de íons de lítio, a estrutura é incrivelmente simples e segura," disse Yang. "Se nós a usarmos como um supercapacitor, podemos descarregá-la rapidamente com uma elevada taxa de corrente. Mas, para outras aplicações, descobrimos que podemos ajustá-la para carregar mais devagar e descarregar lentamente, como uma bateria."
Para criar a bateria/supercapacitor, a equipe depositou uma camada de 900 nanômetros de espessura de níquel e flúor sobre um substrato de suporte.
Essa camada foi entalhada para criar poros de 5 nanômetros, dando-lhe uma elevada área superficial para o armazenamento de energia.
Depois que o suporte foi removido, os eletrodos foram ensanduichados por um eletrólito de hidróxido de potássio imerso em álcool polivinílico.
Segundo o professor James Tour, orientador do trabalho, já há empresas interessadas em produzir a bateria/supercapacitor em escala industrial.
Bibliografia:

Flexible Three-Dimensional Nanoporous Metal-Based Energy Devices
Yang Yang, Gedeng Ruan, Changsheng Xiang, Gunuk Wang, James M. Tour
Journal of the American Chemical Society
Vol.: Article ASAP
DOI: 10.1021/ja501247f

SÓ VERDADES.


















REPASSANDO SEM DÓ !!!
NUNCA VI UMA MENSAGEM QUE DESCREVESSE TÃO BEM ESSE PESADELO PELO QUAL, AINDA, ESTAMOS PASSANDO. Não há neste artigo uma só frase mentirosa. Pelo contrário, todas elas são verdades incontestáveis. Parabéns, Dr.Caio Lucas.

O homem que esteve à frente desta nação e não teve coragem, nem competência, nem vontade para implantar reforma alguma neste país, pois as reformas tributárias e trabalhistas nunca saíram do papel, e a educação, a saúde e a segurança ficaram piores do que nunca.

O homem que mais teve amigos safados e aliados envolvidos, da cueca ao pescoço, em corrupção e roubalheira, gastando com os cartões corporativos e dentro de todos os tipos de esquemas.

O homem que conseguiu inchar o Estado brasileiro e as empresas estatais com tantos e tantos funcionários, tão vagabundos quanto ele, e ainda assim fazê-lo funcionar pior do que antes.

O homem que tem uma mulher medíocre, inútil, vulgar e gastadeira, que usava, indevidamente e desbragadamente, um cartão corporativo, ao qual ela não tinha direito constitucional, que ia de avião presidencial para São Paulo "fazer escova" no cabelo e retornar a Brasília.

O homem que ajudou seu filho a enriquecer, tornando-o milionário do dia para a noite, sem esforço próprio algum, só às custas de conchavos com empresas interessadas em mamar nas “tetas” do governo.
E depois ainda disse para a nação que “esse garoto é um fenômeno”, e lhe concedeu um passaporte diplomático.

O homem que mais viajou inutilmente, quando presidente deste país, comprando um avião caríssimo só para viajar pelo mundo e hospedar-se às custas da nação brasileira nos mais caros hotéis, tão futilmente e às custas dos impostos que extorquiu do povo.

O homem que aceitou passivamente todas as ações e humilhações contra o Brasil e contra os brasileiros diante da Argentina, Bolívia, Equador, Paraguai.

O homem que, perdulária e irresponsavelmente, e debochando da nossa inteligência, perdoou dívidas de países também corruptos, cujos mandatários são “esquerdistas”, e enviou dinheiro a título de doação para eles, esquecendo-se que no Brasil também temos miseráveis, carentes de bons hospitais, de escolas decentes e de um lugar digno para viver.

O homem que, por tudo isso e mais um elenco de coisas imorais e absurdas, transformou este país num chiqueiro libertino e sem futuro para quem não está no seu "grande esquema".

O homem que transformou o Brasil em abrigo de marginais internacionais, FARC'anos etc., negando-se, por exemplo, a extraditar um criminoso vaga-bundo, para um país democrático que o julgou e condenou democraticamente. Esse homem representa o que mais nos envergonha pelo Mundo afora!!

O homem que transformou corruptos e bandidos do passado em aliados de primeira linha.

O homem que transformou o Brasil num país de parasitas e vagabundos, com o Bolsa-Família, com o repasse sem limite de recursos ao MST, o maior latifúndio improdutivo do mundo e abrigo de bandidos e vagabundos e que manipulam alguns ingênuos e verdadeiros colonos.

Para se justificar a estes novos vagabundos, o homem lhes afirma ser desnecessário ESTUDAR e que, para se "dar bem" neste País, basta ser vagabundo, safado, esquerdista e esperto.

Aliás, neste caso, o homem fez inverter uma das mais importantes Leis da Física, que é a Lei da Atração e repulsão; significa que força de idênticos sinais se repelem e as de sinais contrários se atraem.
Mas esse homem inventou que forças do mesmo sinal se atraem.
Por exemplo: ele (o homem) atrai, para sua base, políticos como JOSÉ SARNEY, COLLOR, RENAN... que ficaram amiguinhos de seus comparsas JOSÉ DIRCEU, GENOÍNO, GUSCHIQUEN, e ainda agregaram o apoio de juristas como LEWANDOVSKI, TOFOLI, etc. ...

É, homem... Você é o cara... É o cara-de-pau mais descarado que o Brasil já conheceu.

É, homem, você é o cara...
É o cara que não tem um pingo de vergonha na cara, não tem escrúpulos, é "o cara" mais nocivo que tivemos a infelicidade de ter como presidente do Brasil!

Mas ....como diz o velho ditado popular:
NÃO HÁ MAL QUE SEMPRE DURE...

Caio Lucas Macedo
Advogado-OAB 4536-SPBR

Agora, a nova ministra da Cultura (aquela do “relaxa e goza”) anda dizendo que esse homem “é um Deus”!!!???
Veja só a que ponto essa "gente" chegou para fazer com que o povo cultue esse homem!
Nunca antes na história deste país... E, por essas e outras é que não posso deixar de repassar a mensagem do Caio Lucas, para a qual os ainda devotos desse homem, encontrarão as respostas objetivas.
Só sei que a minha decepção é muito grande com o que ocorre com o nosso Brasil atual, dos últimos dez anos, mas já começo a ter alguma esperança e acreditar em algumas pessoas como o advogado autor deste texto, Caio Lucas Macedo, e o Ministro Joaquim Barbosa.
Os grãos de areia estão aumentando; ainda formaremos uma imensa praia!

Como bem disse o jornalista Joelmir Beting:
"O PT é de fato um partido interessante: começou com presos políticos e vai acabar com políticos presos."
Avante, Ministério Público e Supremo Tribunal.

Se você concorda, BASTA DIVULGAR.

domingo, 27 de abril de 2014

PT ESTÁ MORRENDO, LEGAL.

Presidente Dilma Rousseff é VAIADA em Fórum Social Mundial Temático Part...

Dilma é vaiada no Rio Grande do Norte... "Isso é feio"... ahahaha

Dilma é recebida com vaias e protesto no Pará

jornal O ESTADO DE SÃO PAULO : " LABORATÓRIO LAVANDERIA ".

Fausto Macedo
26.abril.2014 21:45:46

‘Laboratório lavanderia’ de doleiro preso mandou US$ 113 milhões para o exterior

Movimentação do dinheiro do Labogen, controlado por Alberto Youssef, ocorreu entre 2009 e 2013; relatório da Polícia Federal afirma que os objetivos da empresa eram ‘bem distintos de seu objeto social’

Fausto Macedo
O laboratório Labogen, controlado pelo doleiro Alberto Youssef, lavou US$ 113,38 milhões, entre janeiro de 2009 e dezembro de 2013. O poderio do esquema foi descoberto com a quebra de sigilo bancário e fiscal da empresa no âmbito da Lava Jato – operação deflagrada pela Polícia Federal em 17 de março, que derrubou organização criminosa liderada por Youssef e seu aliado principal, Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás.
O sofisticado esquema do “laboratório lavanderia” desprezou o surrado modelo dólar cabo – transferência virtual de valores para paraísos fiscais – e deu lugar ao uso de contratos de câmbio para importações fictícias de medicamentos. O dinheiro foi parar na China.
A Lava Jato descobriu que o laboratório firmou 1.945 contratos de câmbio em nome de duas coligadas, a Labogen Química Fina e Biotecnologia e a Indústria e Comércio de Medicamentos Labogen.
A primeira realizou 1.294 operações, que somaram US$ 75,31 milhões. A outra efetuou 651 “transações de papel”, ao valor global de US$ 38,07 milhões.
A lavanderia pode ter ocultado dinheiro sujo em volume ainda maior, alcançando a cifra máxima de US$ 184,44 milhões em quatro anos. A Procuradoria da República descobriu que as contas de outras três empresas foram utilizadas para movimentar recursos que o laboratório do doleiro amealhou por meio de contratos superfaturados em órgãos públicos.
Essas três empresas – Hmar Consultoria em Informática, GFD Investimentos e Piroquímica Comercial (fabricante de produtos farmacêuticos) – fecharam naquele período 991 contratos de câmbio para remessa de mais US$ 71,06 milhões para a China.

Beneficiários. A PF e a Procuradoria da República querem identificar os beneficiários reais do dinheiro ilícito aportado em contas de doleiros de Hong Kong e Taiwan, praças escolhidas pelo laboratório para avançar o ciclo da lavagem.
O laboratório é o foco central da Lava Jato porque liga o doleiro ao ex-diretor da Petrobrás – ambos presos em março – e ao deputado paranaense André Vargas, que anunciou anteontem sua desfiliação do PT após pressão dos próprios colegas de partido.
O ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, pré-candidato ao governo de São Paulo pelo PT, é citado na Lava Jato. Usando o laboratório como carro-chefe, o doleiro tentou obter contrato milionário no Ministério da Saúde, amparado em um programa de parceria da pasta.
No grampo da PF, Vargas – que só pode ser investigado pelo Supremo Tribunal Federal por ser deputado – disse que Padilha indicou o executivo Marcus Moura para atuar no Labogen. O ex-ministro nega relações com o doleiro e rechaça a versão de que recomendou um profissional para o laboratório. O ministério diz que não celebrou contrato com o Labogen.
Para a PF, “pode-se estar diante de mais uma ferramenta para sangria dos cofres públicos, uma vez que os relatórios de inteligência financeira indicam claramente a atuação da empresa Labogen para objetivos bem distintos de seu objeto social”.
A Procuradoria imputa a Youssef e a Costa lavagem de dinheiro ilícito arrecadado a partir de corrupção e peculato. O ex-diretor da estatal teria recebido R$ 7,95 milhões em propinas no âmbito das obras supostamente superfaturadas da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.
Controle. A “lavanderia” entrou em operação quando Youssef assumiu o controle do laboratório – oficialmente sob direção do administrador Leonardo Meirelles, “operador e testa de ferro” do doleiro, segundo a PF. A produção da “lavanderia” impressionou os investigadores. Os contratos de câmbio se sucederam em ritmo frenético, quase sempre em valores relativamente baixos, em média de até US$ 100 mil cada um, justamente para evitar cair no radar dos órgãos fiscalizadores.
“A organização criminosa agia estruturalmente ordenada, caracterizada pela divisão formal de tarefas e com o objetivo de obter, direta ou indiretamente, vantagem indevida derivada dos crimes de peculato, corrupção ativa e corrupção passiva e lavagem de dinheiro em detrimento da Petrobrás, entre 2009 até 2014”, sustenta a Procuradoria.

SINTO VERGONHA.


100 anos se passaram mas parece que um Barbosa (Rui) escrevia para outro (Joaquim):

"Sinto vergonha de mim
por ter sido educador de parte deste povo,
por ter batalhado sempre pela justiça,
por compactuar com a honestidade,
por primar pela verdade
e por ver este povo já chamado varonil
enveredar pelo caminho da desonra.

Sinto vergonha de mim
por ter feito parte de uma era
que lutou pela democracia,
pela liberdade de ser
e ter que entregar aos meus filhos,
simples e abominavelmente,
a derrota das virtudes pelos vícios,
a ausência da sensatez
no julgamento da verdade,
a negligência com a família,
célula-Mater da sociedade,
a demasiada preocupação
com o 'eu' feliz a qualquer custo,
buscando a tal 'felicidade'
em caminhos eivados de desrespeito
para com o seu próximo.

Tenho vergonha de mim
pela passividade em ouvir,
sem despejar meu verbo,
a tantas desculpas ditadas
pelo orgulho e vaidade,
a tanta falta de humildade
para reconhecer um erro cometido,
a tantos 'floreios' para justificar
actos criminosos, a tanta relutância
em esquecer a antiga posição
de sempre 'contestar',
voltar atrás e mudar o futuro.

Tenho vergonha de mim
pois faço parte de um povo
que não reconheço,
enveredando por caminhos
que não quero percorrer...

Tenho vergonha da minha impotência,
da minha falta de garra,
das minhas desilusões
e do meu cansaço.

Não tenho para onde ir
pois amo este meu chão,
vibro ao ouvir o meu Hino

e jamais usei a minha Bandeira
para enxugar o meu suor
ou enrolar o meu corpo na pecaminosa
manifestação de nacionalidade.

Ao lado da vergonha de mim,
tenho tanta pena de ti,
povo deste mundo!"

'De tanto ver triunfar as nulidades,
de tanto ver prosperar a desonra,
de tanto ver crescer a injustiça,
de tanto ver agigantarem-se
os poderes nas mãos dos maus,
o homem chega a desanimar da virtude,
A rir-se da honra,
a ter vergonha de ser honesto'.(Rui Barbosa - 1918)


Manifestação de Joaquim após o julgamento.


Não é a política que faz o candidato virar ladrão, é o seu voto que faz o ladrão virar político.

quinta-feira, 24 de abril de 2014

A ENERGIA MAIS CARA DO MUNDO.

Racionamento pode custar R$ 28,7 bi e elevar tarifas em 10,2%, diz Moody's

Agência de classificação de risco simula cenário com um corte de 20% de energia por 12 meses

24 de abril de 2014 | 11h 29

Wellington Bahnemann - Agência Estado
 RIO DE JANEIRO - O racionamento de energia provocaria uma perda de até R$ 28,7 bilhões aos geradores e forçaria um aumento de até 10,2% nas tarifas de energia para evitar que as distribuidoras quebrassem. Estas são algumas das conclusões de um estudo produzido pela agência de classificação de risco Moody's. "O setor elétrico terá um ano de 2014 muito difícil, com o preço spot alto, com a exposição involuntária das distribuidoras ao mercado spot e com o despacho térmico elevado", afirmou o vice-presidente e analista sênior da Moody's, José Soares, em entrevista ao Broadcast
O estudo da Moody's mostra que o tamanho das perdas dependerá da posição contratual dos geradores e do porte do racionamento. A perda de R$ 28,7 bilhões e o reajuste de 10,2% das tarifas consideram que o corte na demanda será de 20% por um período de 12 meses. Se a redução compulsória no consumo for de 5% por sete meses, o prejuízo dos geradores seria de R$ 7,5 bilhões e a conta de luz subiria 1,5%. 
Para calcular estes números, a Moody's considerou que o racionamento obrigaria os geradores a comprar energia no mercado à vista para compensar o déficit na geração hidrelétrica, quando a energia produzida fica abaixo da energia assegurada das usinas - no jargão do setor elétrico, isso é conhecido como GSF inferior 1. No cenário de racionamento de energia de 5% por sete meses, o GSF seria de 97,2%, ou seja, o déficit seria 2,8%, gerando perda de R$ 7,5 bilhões a ser paga pelos geradores. Se o corte do consumo for de 20% por 12 meses, o GSF seria de 90,4% (9,6% de déficit), gerando o prejuízo de R$ 28,7 bilhões. 
 Essa perda, no entanto, não seria absorvida igualmente pelos geradores. Soares disse que as empresas com energia descontratada terão menos perdas em um eventual racionamento, justamente por terem que comprar menos oferta no mercado para compensar o déficit na produção hidrelétrica. O executivo citou como exemplo de empresas nessa situação a Cesp e a Cemig. "Esses geradores possuem energia descontratada porque não podia ser vendida em contratos de longo prazo por causa do vencimento de suas concessões", explicou. Por outro lado, as mais afetadas seriam Eletrobras, EDP Brasil, Duke Energy, AES Tietê e CPFL Renováveis. 
A partir desses dados, a Moody's simulou os efeitos do racionamento para as margens e alavancagem do setor de geração. Os resultados revelam uma piora sensível na qualidade de crédito das empresas. Se o governo decretasse racionamento de 5% por sete meses, um gerador com uma margem Ebitda de 50% e alavancagem de 3 vezes teria sua margem reduzida para 37% e a relação dívida líquida/Ebitda elevada para 3,5 vezes. Se o racionamento fosse de 20% por 12 meses, a margem ficaria negativa em 3%. 
Na mesma análise de sensibilidade, o gerador com a margem Ebitda de 70% e alavancagem de 3 vezes veria as suas margens se reduzirem para 58% e a relação dívida líquida/Ebitda subir para 3,3 vezes em um racionamento de 5% por sete meses. Se o corte no consumo for de 20% por 12 meses, a margem cairia para 22% e a alavancagem aumentaria para 10,4 vezes. "Essa situação gera mais pressão sobre a qualidade de crédito do setor elétrico como um todo", avaliou o executivo. 
Para as distribuidoras, o estudo da Moody's aponta que um racionamento de energia, independentemente de sua profundidade, teria impacto negativo no fluxo de caixa e na lucratividade, pressionando o governo a conceder novos reajustes tarifários para assegurar o equilíbrio econômico-financeiro das empresas. "O risco regulatório para as distribuidoras seria o 'timing' dos reajustes, que não poderiam ser postergados", disse. 
Embora exista essa preocupação com o "timing" dos reajustes, Soares afirmou que o governo federal tem demonstrado preocupação com a saúde financeira das distribuidoras. A prova disso foi o pacote de ajuda às concessionárias, que contará com o empréstimo de R$ 11,2 bilhões da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e o aporte do Tesouro de R$ 4 bilhões na Conta de Desenvolvimento Energético (CDE). O executivo, no entanto, considera que a solução ideal para o setor seria permitir os reajustes integrais das tarifas das empresas. 
Nas contas da Moody's, no entanto, o pacote de ajuda pode ser insuficiente para cobrir as despesas das distribuidoras este ano. Isso dependerá do resultado do leilão de energia velha A-0, marcado para o dia 30 de abril, que tem como objetivo reduzir (ou zerar) a exposição de 3,5 mil MW médios das distribuidoras no mercado spot, no qual a energia está custando hoje R$ 822,23/MWh. "O custo das térmicas este ano também chegar a R$ 30 bilhões. É provável que seja necessário mais dinheiro para ajudar o setor", disse. Vale lembrar que os R$ 4 bilhões do Tesouro Nacional já foram gastos, sendo que apenas R$ 1,2 bilhão foi usado para arcar com as despesas extraordinárias das distribuidoras com as térmicas e com o mercado spot. 
Diante do baixo nível dos reservatórios do Sudeste/Centro-Oeste, hoje em 37,7% da capacidade, o menor desde 2001, Soares disse que, tecnicamente, o ideal seria que o governo adotasse o racionamento ou realizasse algum tipo de ação para redução voluntária do consumo de energia entre os grandes consumidores ou entre a população em geral. "Mas o nosso cenário base é de que o governo não vai decretar racionamento neste ano", reconheceu. Se nada for feito para recuperar o nível dos reservatórios ainda este ano, Soares afirmou que o racionamento de energia em 2015 é praticamente inevitável. 
Caso o governo não decrete o racionamento, mas adote algum programa para estimular a redução do consumo de energia, a Moody's conclui que os geradores serão afetados igualmente. Isso porque o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) iria manter o despacho térmico elevado para poupar os reservatórios, o que resultaria no déficit na geração hidrelétrica e, consequentemente, na exposição ao mercado de curto prazo. Isso levaria a necessidade de comprar energia para honrar os contratos. 
A conclusão, inclusive, é que as perdas neste cenário seriam maiores do que no cenário de racionamento de energia, já que o déficit na geração hídrica seria superior. "A redução voluntária de 5% no consumo de energia por sete meses resultaria em uma exposição ao mercado de curto prazo de 5,6%, comparado aos 2,8% de exposição no nosso cenário base para o racionamento de energia", avaliou a agência.

terça-feira, 22 de abril de 2014

DENÚNCIA: PT tenta "CALAR" OLAVO DE CARVALHO e Pr. MARCO FELICIANO (28/0...

OLAVO DE CARVALHO - 1964: 50 ANOS DO CONTRA-GOLPE

Militares vs Comunistas (PT, PSDB) - veja a diferença

RESPOSTAS ÀS AGRESSÕES DE MARILENA CHAUÍ À CLASSE MÉDIA

Sensacional! Resposta à Marilena Chaui sobre classe Média e Karl Max

JOÃO LEITE NETO FALA DA FRIBOI E FAMÍLIA SARNEY

CONFISCO DE DINHEIRO DA CLASSE MÉDIA GOVERNO ESTUDA MAIS ESTE GOLPE

Queime depois de ler

SONDA LUNAR ENCERRA A MISSÃO.

Espaço

Sonda da NASA encerra missão caindo na Lua

Redação do Site Inovação Tecnológica - 22/04/2014
Sonda espacial da NASA cai na superfície da Lua
[Imagem: NASA Ames/Dana Berry]
Queda quase controlada
A NASA confirmou que a sonda espacial LADEE (Explorador da atmosfera e da poeira ambiente lunar, em tradução livre) caiu na superfície da Lua, conforme planejado, na última quinta-feira.
A sonda LADEE não tinha combustível para manter uma órbita lunar a longo prazo ou continuar suas operações científicas, sendo então intencionalmente enviada em um mergulho final sobre a superfície lunar.
A órbita da sonda já vinha decaindo naturalmente após a fase final de sua missão científica, feita em uma altitude extremamente baixa, um recorde entre 12 e 60 km, mas que chegou a meros dois quilômetros da superfície lunar nos últimos dias, antes que seus motores fossem acionados pela última vez para o mergulho final.
Os engenheiros acreditam que, no impacto, a sonda, que tinha o tamanho de uma geladeira, tenha-se desintegrado totalmente.
"No momento do impacto, a LADEE estava viajando a uma velocidade de 3.600 quilômetros por hora," disse Rick Elphic, cientista do projeto. "Não há nada gentil em um impacto a essas velocidades - é apenas uma questão de se a LADEE fez um buraco em uma encosta ou deixou detritos espalhados por uma área plana. Será interessante ver que tipo de característica a LADEE criou."
Nos próximos meses, os controladores da missão vão determinar a hora exata e o local do impacto da LADEE e usar outra sonda lunar, a LRO (Lunar Reconnaissance Orbiter) para tentar capturar uma imagem do local do impacto.
Em 2009, a NASA realizou um experimento que consistiu no lançamento de um projétil na Lua. Mas, em lugar de algo de "impacto", o que se viu foi uma das maiores decepções do programa espacial.
Após anúncios de que até telescópios terrestres poderiam permitir ver a nuvem de poeira lunar levantada pelo impacto - o objetivo era estudar essa poeira -, nada aconteceu.
Brilho misterioso
sonda LADEE coletou informações detalhadas sobre a estrutura e a composição da fina atmosfera lunar.
Contudo, os dados ainda não foram suficientes para explicar o famoso brilho visto pelos astronautas logo acima do horizonte antes do nascer do Sol.
Acreditava-se que a poeira lunar ficasse eletricamente carregada e gerasse o brilho, mas a poeira suspensa na atmosfera tem uma densidade pequena demais para isso.
Mas a sonda foi responsável por um feito histórico, em setembro de 2013, quando permitiu o primeiro experimento de comunicação espacial bidirecional usando raios laser, em vez de ondas de rádio, para transmitir uma imagem de uma Mona Lisa, que ficou conhecida como "Mona Laser".

DRONE BRASILEIRO.

Robótica

Drone brasileiro para monitoramento de águas

Redação do Site Inovação Tecnológica - 16/04/2014
Drone brasileiro para monitoramento de águas
O protótipo pesa 2,5kg e tem um metro de diâmetro, podendo voar a altura máxima de 150 metros.[Imagem: Salvador Júnior/UnB Agência]
Monitoramento de águas
Com os reservatórios de água nos menores níveis da história em algumas partes do Brasil, cresce a preocupação em monitorar melhor a quantidade de água armazenada, minorando os prejuízos para a população.
A proposta de uma equipe da Universidade de Brasília (UnB) é automatizar a tarefa usando veículos aéreos não tripulados (VANTs) - mais conhecidos como drones ou cópteros.
A ideia é capturar imagens difíceis de obter em campo e por satélite e, assim, preencher uma lacuna existente no sistema de sensoriamento remoto.
"O drone pode voar abaixo das nuvens logo após uma chuva forte, por exemplo, e registrar a movimentação de sedimentos na água, coisa impossível de ser vista das estações terrestres e orbitais," disse o professor Henrique Roig, um dos responsáveis pelo projeto.
Assim, haverá ganhos também na resolução das imagens, já que os cópteros vão "ver" tudo mais de perto, permitindo seu uso também para monitoramento de vazamentos de petróleo e outros produtos químicos.
Batizado de AquaVant, o veículo robótico será desenvolvido em parceria com o Instituto Francês de Pesquisa e Desenvolvimento (IRD) e com as universidades federais do Amazonas (Ufam) e do Ceará (UFC).
Drone das águas
"Drones existem às centenas, mas quase todos estão voltados para segurança, mapeamento territorial e agricultura de precisão," observa o professor.
Assim, a principal parte do trabalho não será exatamente desenvolver um veículo robótico, mas verificar qual tipo de aeronave se adequa melhor para levar o equipamento necessário para o tipo de observação que se tem em mente.
O projeto inicial prevê uma carga útil com cerca de 700 gramas, consistindo principalmente de câmeras multi e hiperespectrais - uma câmera hiperespectral registra 232 pontos em um único disparo.
"Nosso trabalho é descobrir qual das aeronaves servirá melhor para o transporte das câmeras e, assim, obter os resultados desejados", diz Roig.
Os primeiros testes estão sendo feitos com cópteros de seis e oito hélices. Os vários eixos de motor proporcionam mais equilíbrio à aeronave. A expectativa é que aeronaves de asas fixas sejam usadas para sobrevoar áreas maiores no futuro.
O protótipo pesa 2,5kg e tem um metro de diâmetro, podendo voar a altura máxima de 150 metros. A autonomia de voo é de até 30 minutos - o tempo de duração da bateria varia de acordo com o peso dos sensores transportados.