Páginas

domingo, 31 de dezembro de 2017

R$ 17,00

   Parabéns meu povo trabalhador que paga impostos altíssimos e não tem retorno. O salário mínimo aumentou, são mais R$ 17,00  no seu bolso. Que maravilha.Comparado com o rendimento dos parlamentares que ainda ganham auxílio paletó, selo, gasolina, telefone fixo, celular, moradia, almoço, janta, lanche, passagem aérea, viagens e ainda trabalham 3 dias por semana para legislar em causa própria. Você trabalhador e aposentado está na hora do levante, ou vai ou racha. Nas urnas programáveis não derrubaremos os ratos que aí estão. Então tomaremos o governo no pau. Pense nisso.
                                                             CMM

8 FAMOSOS QUE SE TRANSFORMARAM EM MONSTROS

FOTOS QUE A CORÉIA DO NORTE GOSTARIA DE BANIR DA INTERNET

INÉDITO! MARIA DO ROSÁRIO É RECEBIDA COM "VAIAS" AO CHEGAR EM AEROPORTO

Orlando Drummond chega aos 97 anos com muito bom humor | 06/12/2016

Porto Alegre promete não se acovardar as ameaças de Requião, Stédile, Bo...

DESCOBERTAS SUBTERRÂNEAS MAIS ESTRANHAS!!

Khathye Tripeno ...o PSDB ....bateu record.... Acordam paulistanos.....Olham os enrustidos que saíram do armário !!! —

A imagem pode conter: texto

MERECEM O REVÉS NAS URNAS, CAMBADA DE VAGABUNDOS HOMENAGEAR VAGABUNDA, SÓ NO BRASIL.

A bebida que cura gastrite, emagrece, controla a diabetes, pressão e limpa a pele

A bebida que cura gastrite, emagrece, controla a diabetes, pressão e limpa a pele

Mauricio de Sousa suspende fogos em festa!


Rogério N. acaba de compartilhar uma atualização no abaixo-assinado "Assine para exigir que o PL 97/2017 contra fogos de artifício com ruído (rojões, morteiros, bombas, etc) seja votado em São Paulo! Eles causam graves efeitos nas crianças autistas e nos animais!" Dê uma olhada e deixe um comentário
ATUALIZAÇÃO DO ABAIXO-ASSINADO

Mauricio de Sousa suspende fogos em festa!

Até o famoso cartunista Maurício de Souza é contra os fogos com ruído. Vejam a matéria da UOL em https://entretenimento.uol.com.br/noticias/redacao/2017/12/29/por-amor-aos-bichos-mauricio-de-sousa-suspende-fogos-em-festa-de-reveillon.htm Compartilhem...vamos pressionar as autoridades. Festa sim, fogos luminosos sim, fogos com ruídos NÃO!
Ler atualização completa

sábado, 30 de dezembro de 2017

LUGARES QUE VOCÊ É PROIBIDO DE VISITAR!!

Força Aérea Brasileira do Lado do Povo

Força Aérea Brasileira do Lado do Povo

Conheça a TR-5000, a turbina a jato 100% nacional

SCBR - Ensaio da primeira turbina aeronáutica brasileira TR3500 ( ITA - ...

Conheça a TR-5000, a turbina a jato 100% nacional

25 Famosos Que Faleceram em 2017

Tecnologia stealth Brasileira

��TEMER ACHOU QUE IA PASSAR BATIDO DIANTE DO INSULTO DE NATAL.

DANILO GENTILI

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

Fim da queima de fogos com ruído em Maringá! trata de um tema importante sobre animais. Clique aqui e assine se quiser apoiar.

AMIGOS, este abaixo-assinado trata de um tema importante sobre animais. Clique aqui e assine se quiser apoiar.
Fim da queima de fogos com ruído em Maringá!
Abaixo-assinado por Flavio Mantovani
Brasil
 4.310 
Apoiadores
Clique para assinar
Todo final de ano os shows com fogos de artifício são lindos de se ver. Mas você já presenciou um animal se esconder de medo ou fugir apavorado pelas ruas correndo o risco de ser atropelado ou de se perder pela cidade? Ainda temos os doentes hospitalizados, crianças com deficiência, idosos, crianças de colo e muitas outras pessoas que sofrem com tais barulhos.

Com a intenção de proteger a todos, esse abaixo-assinado tem como objetivo dar apoio ao projeto do Vereador Flavio Mantovani para que o poder público adquira apenas fogos de artifício sem estampido e tenhamos restrição na soltura e venda por parte da população. 

Os fogos sem estampido são iguais aos fogos normais, promovem um lindo espetáculo no céu, mas NÃO PRODUZEM BARULHO. Por isso mesmo não vão assustar ou prejudicar ninguém!

Junte-se a nós, assine este abaixo-assinado e mobilize-se a favor desta causa animal!
Clique para assinar

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

FORÇAS ARMADAS VÃO COMBATER O COMUNISMO NO PAÍS

Denúncia contra Gilmar Mendes:" Envolvido em esquema do Bradesco"

Cachorro abandonado chora sem parar

Manifestações do PT a favor do Brasil. Entenda a farsa!

Silvana Azambuja Dos Santos

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Tem muito mais. (Khathye Tripeno0

A imagem pode conter: texto

PARASITA ... Acorda Piauí . (Khathye Tripeno0

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

Por que Marte perdeu sua água e acabou não ficando parecido com a Terra BBC

Por que Marte perdeu sua água e acabou não ficando parecido com a Terra

Marte
Image captionSuperfície de Marte é árida e inóspita | Foto: NASA/JPL/Universidad de Cornell
Embora a superfície de Marte seja hoje árida e inóspita, há bilhões de anos provavelmente estava tão coberta de água quanto a Terra.
O que provocou o desaparecimento deste recurso crucial para o desenvolvimento da vida?
Uma das teorias vigentes é de que a água sumiu do planeta vermelho quando ele perdeu o campo magnético que o protegia dos ventos solares.
No entanto, um estudo recente feito por cientistas da Universidade de Oxford, no Reino Unido, mostrou que a perda do campo magnético não permite explicar o desaparecimento de toda a água que existia no planeta.
O resto, segundo a pesquisa, foi absorvido pelas rochas de basalto, que podem reter em seu interior aproximadamente 25% mais água que as pedras do mesmo tipo na Terra, já que são ricas em óxido de ferro.
Este processo foi tão intenso que é estimado que a crosta do planeta tenha consumido um oceano de mais de 3 km de profundidade.

Processo irreversível

Os pesquisadores da Universidade de Oxford chegaram a essa conclusão após calcular quanta água era possível de eliminar da superfície do planeta pela interação do líquido com os minerais das rochas.
Superfície de Marte como é hoje e como era quando havia água
Image captionA água desapareceu há milhões de anos | Ilustração: Jon Wade e James Moore/Universidade de Oxford
O cálculo incluiu também fatores como a temperatura das pedras e a pressão atmosférica. Os resultados mostram que as rochas levaram grande parte da água da superfície para o interior do planeta.
Depois de absorvida, a água não pode ressurgir, porque as rochas basálticas não funcionam exatamente como uma esponja: elas quebram as moléculas, absorvendo apenas o oxigênio, enquanto o hidrogênio se espalha pelo espaço.
Essas rochas então se afundaram no manto (camada logo abaixo da superfície, assim como na Terra), deixando o planeta seco, sem a possibilidade de abrigar vida.

Diferenças sutis, mas importantes

Por que a Terra não passou por um processo parecido?
Segundo os pesquisadores de um estudo publicado na última edição da revista Nature, "Marte é um planeta muito menor que a Terra, com um perfil de temperatura diferente e uma quantidade maior de ferro em seu manto".
"São diferenças sutis, mas podem ter um efeito significativo, que aumenta com o tempo", diz o paper.
Esses fatores permitiram que a superfície de Marte fosse mais reativa à água que a nossa, possibilitando a formação de minerais que absorveram água e se afundaram para o interior do manto.
Já na Terra, em seus primeiros anos de formação, as rochas hidratadas tendiam a flutuar até se desidratarem.

Como Voltaire se aproveitou de falha nas regras da 1ª loteria da França para ganhar uma fortuna BBC

Como Voltaire se aproveitou de falha nas regras da 1ª loteria da França para ganhar uma fortuna

VoltaireDireito de imagemGETTY IMAGES
Image captionA fortuna de Voltaire teve mais a ver com sua perspicácia do que com sorte
O pensador francês Voltaire - ou François-Marie Arouet - é lembrado por seu talento como escritor, por seus ataques à Igreja Católica e pela defesa da liberdade de crença e expressão.
Escreveu obras de teatro, poemas, romances, ensaios, livros científicos e históricos. Mas provavelmente não teria feito tanto se não fosse a loteria da época.
Afinal, como diria a escritora britânica Virginia Woolf dois séculos mais tarde, para poder escrever é preciso ter dinheiro e casa própria.
Voltaire era consciente disso. Em suas Memórias (1759), diz ter conhecido tantos escritores "sem dinheiro e desprezados" quando jovem que decidiu que não faria parte desse grupo.
Ele não nasceu pobre, mas gastava mal o que tinha e se tornou amante dos jogos de azar ainda na juventude. Em 1722, contou a uma amante que perdera bastante dinheiro jogando cartas, cumprindo o costume "de ficar sem um centavo uma vez por ano".
Nesse mesmo ano morreu seu pai, que no testamento determinou que Voltaire, o filho caçula, só deveria receber sua parte da herança ao completar 35 anos.
Quando esse dia chegou, porém, ele já havia ganhado na loteria, conta Roger Pearson, autor de Voltaire Todo-poderoso: Uma Vida em Busca da Liberdade, na revista Lapham's Quarterly.
Mas não tratou-se meramente de um golpe de sorte.
Charles-Marie de La Condamine
Image captionTer um amigo matemático pode vir a calhar

Letras miúdas

Se você quisesse fazer uma fortuna na França, observou Voltaire mais tarde, bastaria ler as letras miúdas.
Em 1719, o país sofreu uma crise financeira que, de certa forma, lembra as enfrentadas no nosso século 21. Primeiro, os bancos inventaram instrumentos financeiros que deram uma falsa impressão de abundância. Com isso, gerou-se uma bolha que, obviamente, acabou explodindo, deixando a França à beira da bancarrota.
Diante disso, o governo buscou formas de reduzir sua dívida, o que o levou a pegar empréstimos indiretos.
Uma das soluções para encher os cofres foi criar uma loteria, assim como o Parlamento inglês havia feito em 1694. Lá, o objetivo de arrecadar um milhão de libras tinha sido alcançado com sucesso, inspirando iniciativas similares por toda a Europa.
Na França, foram então emitidos títulos das dívidas da Prefeitura de Paris, e só os donos dessas cotas poderiam participar da loteria.
Voltaire era um deles - e voltou sua atenção para as regras. Durante um jantar, conversou sobre elas com um amigo, o pensador e matemático Charles-Marie de La Condamine.
O que os intrigava era que os bilhetes custavam um milésimo do valor da cota da dívida. Ou seja, se você era dono de uma cota pequena, era possível comprá-los por preços muito baixos - se ela valia mil francos, por exemplo, cada bilhete iria lhe custar apenas um franco. No entanto, tinha as mesmas chances de alguém que tivesse um título cem vezes mais caro, mas pagando muito menos por isso.
Eles então se perguntaram o que ocorreria se eles comprassem todos ou a maioria dos bilhetes assim que fossem lançados, por apenas um franco cada. Para isso, precisariam de todas a cotas de pouco valor existentes, o que demandaria se juntar a outras pessoas.
O grupo comprou todos os bilhetes. Resultado: levou um milhão de francos.
O próprio Voltaire falou sobre o feito, em terceira pessoa, no autobiográfico Comentário Histórico sobre as Obras do Autor de 'Henriada', publicado em 1976:
"As autoridades emitiram bilhetes em troca dos títulos do Hotel de Ville (prefeitura), e os ganhadores foram pagos em dinheiro, de tal maneira que o grupo de pessoas que comprou todos os bilhetes ganhou um milhão de francos. Voltaire se associou a inúmeras pessoas e teve sorte."
Voltaire
Image captionVoltaire se tornaria um dos principais representantes do Iluminismo | Foto: Science Photo Library

Nasce um esquema

A loteria foi sorteada no oitavo dia de cada mês a partir de janeiro de 1729. Todos os registros dos concursos realizados até fevereiro de 1730 ainda existem, lembra o escritor Roger Pearson.
No primeiro sorteio, diz ele, os prêmios foram pagos de maneira pulverizada, como devia ser. Mas já no segundo isso começa a mudar: há um grande aumento no número de ganhadores com bilhetes comprados pelo menor valor requerido, e vários deles registrados sob o mesmo nome.
Condamine, por exemplo, ganhou 13 mil francos com 13 bilhetes que haviam lhe custado um franco cada um.
Em outubro, afirma Pearson, o prêmio de mais de 1 milhão de francos foi dividido entre 13 ganhadores, todos velhos conhecidos - já haviam levado boladas antes.
Quando as autoridades notaram a brecha, mudaram as regras. Mas estima-se que a essa altura Voltaire já havia acumulado cerca de meio milhão de francos.
Em algum momento, o então controlador-geral de Finanças, Michel Robert Le Peletier des Forts, denunciou o grupo sob a acusação de agir ilegalmente, mas o conselho real declarou que as pessoas não haviam violado nenhuma regra: a loteria é que havia sido mal concebida.
Émilie du ChâteletDireito de imagemSCIENCE PHOTO LIBRARY
Image captionÉmilie du Châtelet foi uma das paixões de Voltaire

Um homem de negócios

Depois de juntar a fortuna, Voltaire quis mais.
No Estado semi-independente de Lorraine, aproveitou-se de que as autoridades buscavam arrecadar recursos por meio de títulos de dívidas em condições vantajosas para os compradores. Ele arrematou 50 cotas e as revendeu pelo triplo do preço.
Em Paris, investiu grandes quantias de dinheiro em negócios de suprimentos para o Exército.
"Nosso grande poeta sempre manteve um pé no Monte Parnaso e outro na rua Quincampoix", disse certa vez o marquês D'Argenson, um de seus amigos (a Quincampoix era a Wall Street da Paris do século 18).
Com o dinheiro, Voltaire comprou sua independência e a liberdade de escrever o que queria no conforto do lar que ia construindo em outro lugar sempre que suas palavras não eram bem recebidas pelos locais.
Em Champagne, viveu em reclusão idílica com sua então amante, a brilhante cientista Émilie du Châtelet. Depois mudou-se para a então cidade-estado de Genebra, na atual Suíça. Quando os calvinistas rejeitaram suas obras de teatro, voltou para a França, se instalando no castelo de Ferney.
Morreu em 1778, tendo passado à história como um dos grandes heróis do Iluminismo e defensor dos direitos humanos.
Castelo de Ferney
Image captionCastelo de Ferney foi uma das casas luxuosas que Voltaire pôde ter